Texto Completo


Governo Abre Os Cofres Para Salvar Mandato De Michel Temer
Fonte : NBO
O governo abriu os cofres para convencer os congressistas arredios a votar a favor das reformas. Agora, depois do caso FriboiGate, vai abrir novamente os cofres para outra rodada de “bondades”. Desta vez para garantir a permanência de Michel Temer no Planalto.

O presidente pode ser cassado em julgamento no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que será retomado no dia 6 de junho. Também houve especulações, quando o escândalo estourou, de que Temer renunciaria. Ainda, há pedidos de impeachment pipocando na Câmara –mas esses só andam com o aval do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aliado de Temer.

PRESSÃO SOBRE A FAZENDA
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, é dos maiores fiadores do ajuste fiscal do governo, e tem boa interlocução com operadores do mercado. Está sendo pressionado pelo Planalto para ceder às reivindicações da bancada governista no Congresso em duas MPs (medidas provisórias): a do novo Refis e a do Funrural.

NOVO REFIS: PARCELAS A PERDER DE VISTA
A MP que permite a empresas parcelar débitos tributários está em votação no Congresso. Perde a validade em 1º de junho. O texto substitutivo dos deputados sofre resistências da área econômica. Mas o Planalto cobra de Meirelles 1 acordo para edição de nova MP. Hoje, haverá mais uma rodada de negociações da Fazenda com os deputados.

Congressistas querem o parcelamento em prazo mínimo de 200 meses, contra os 150 propostos pelo governo. Também reivindicam que a entrada –de 7,5% sobre a dívida total– seja repartida em 24 prestações. A Receita Federal propõe que seja até o fim de 2017.

FUNRURAL
Na semana que vem, deve ser editada uma MP para regularizar as dívida dos produtores rurais com a Previdência. A alíquota de contribuição deve ser diminuída de 2% para 1,5% do faturamento. Os débitos devem ser divididos em parcelas de 0,8% do faturamento. O texto seria divulgado nesta semana, mas os ruralistas apresentaram novas reivindicações. A Fazenda está estudando.

O presidente Michel Temer pretende anunciar pessoalmente , também na semana que vem, o novo Plano Safra do Agronegócio. Principal item: redução da taxa de juros dos financiamentos para os produtores, que hoje varia entre 8,5% e 9,5%. O governo deve baixar 1 ponto percentual. Também pode ser anunciado o Plano Safra da Agricultura Familiar, que beneficia sobretudo Estados do Sul do país.

Em pronunciamento nas redes sociais, Michel Temer adiantou mais uma bondade para os próximos dias: a distribuição de milhares de escrituras a famílias carentes.
Data de publicação : segunda-feira, 29 de maio de 2017

 

    ©2010 Krassine Soares Pinheiro Filho   -   Administrador