Texto Completo


FUNDACENTRO LANÇA MANUAL DA NR 29
Fonte : Andréa Margon

Depois de 10 anos de trabalho, Fundacentro ES lança manual da NR 29. Numa solenidade reservada, a Fundação recebeu técnicos da área, empresários e trabalhadores portuários do estado. Antonio Carlos Garcia, um dos maiores responsáveis pela publicação disse que “com o passar dos anos, implantando a NR 29, houve controle no número de acidentes e, agora, é o momento de dar atenção a outros agentes que influenciam na saúde e segurança do trabalho, como o meio ambiente”.



Luiz Fernando Barbosa Santos, conferente de carga e descarga, fez um resgate do trabalho sobre saúde e segurança, junto com a Fundacentro Ele lembrou das dificuldades junto ao empresariado e poder público que consideravam o tema prejudicial a economia.” A luta foi difícil. Tivemos que ir a OIT. E o trabalho ainda não acabou, há muito que ser feito”.

José Adilson Pereira (*), disse que ver este resgate e ver que todo o trabalho deu certo é engrandecedor. Lembrou que quando chegava no porto convivia com o fator sorte. “O pensamento era: será que voltaríamos para casa?”.



Lembrou que no início da implantação da NR 29 levaram sete meses negociando o acesso aos EPIs e que hoje evoluiu, muito. E aproveitou para homenagear a Fundacentro, aos trabalhadores e ao setor patronal pela evolução. “Agora é um novo ciclo. Atualizar a NR 29”. E sugeriu que a Fundacentro cuide disso. Outra sugestão foi de que seja realizado uma averiguação nos portos, para ver o que, ainda, não foi aplicado e resolver.

Watson Valaniel (TVV – LogIn), representando a Fenop, agradeceu a Fundacentro pelo trabalho. “O tema é consenso, pois temos um compromisso com a vida. Melhoramos e temos muito a melhorar. O Brasil é muito grande e embora a capa do livro não espelhe a realidade capixaba, o mesmo não ocorre no restante do país. O Espírito Santo pode ser exemplo em saúde e segurança do trabalho”.



Júlio Freitas, gerente do Ogmo-ES, falou que não trabalhou na criação da NR 29, “mas trabalhei na sua aplicação. Sempre falo aos trabalhadores que para entrar e sair inteiros. Isso é obrigação dos trabalhadores e do setor patronal”.

Roselito Ribeiro, estivador, que teve intensa participação da criação e implantação da Norma, disse que a caminhada foi longa. “Uma construção muito trabalhosa. Houve avanço, mas no início dava medo. Ver companheiros mortos ou mutilados faz a gente sofrer”.



E prosseguiu, dizendo que esse momento é um exemplo. “Houve mudança de comportamentos. Temos que falar diariamente, ser chato. Só quando acontece o acidente é que se fala sobre saúde e segurança. Tem que falar diariamente”.

Para Roselito, o setor está no caminho certo e que sendo uma construção coletiva, tem que continuar. “O acidente avisa quando vai acontecer e temos que ficar atentos aos sinais”.



Ernani Pereira Pinto, presidente do Suport-ES, falou que é necessário o comprometimento de todos os entes ligados ao trabalho voltado para a saúde e segurança. As federações e confederação tiveram e têm papel fundamental na construção e implantação da NR 29, além do setor patronal.

José Emílio Magro, aposentado pela Superintendência do Trabalho (MTE), disse que Manual é uma riqueza coletiva. Tem contribuição do mundo inteiro e que o pode gerar felicidade. “Meu trabalho, sempre, foi voltado para a saúde e segurança do trabalho. Nunca enfrentei barreiras com Governos para a sua implantação. Tivemos a colaboração dos trabalhadores e dos empresários. Foram mais de 30 anos de luta que valeram a pena”.

José Emílio disse, ainda, que há, sempre, alguma coisa a ser feita. “A questão é não parar. Existem diversos outros pontos a serem trabalhados”.



Antonio Carlos Garcia, ao fecham o evento disse que a NR 29 não é uma norma perfeita, por isso que existe órgão que trabalha para a sua melhoria contínua. “Se desejarem colaborar, escrevam observações e nos enviem”.

(*) José Adilson Pereira é vice-presidente da Conttmaf, presidente da Intersindical da Orla Portuária ES e do Sindicato dos Estivadores ES e secretário adjunto da Secretaria de Relações Internacionais da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).
Data de publicação : sexta-feira, 13 de maio de 2016

 

    ©2010 Krassine Soares Pinheiro Filho   -   Administrador