Texto Completo


Movimentação portuária cresce 2,5% no país, diz Antaq
Fonte : Portos e Navios

O setor portuário brasileiro, que inclui portos públicos e terminais de uso privado (TUPs) movimentou 224,8 milhões de toneladas de mercadorias nos três primeiros meses deste ano. O volume representou um crescimento de 2,5% em relação mesmo período do ano passado. Essa porcentagem aponta um acréscimo de 5,5 milhões de toneladas movimentadas nos portos nacionais.

Os dados integram o balanço operacional realizado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), o órgão regulador do segmento.

O aumento foi impulsionado pelos terminais privados (instalações construídas e exploradas por empresas), que registraram uma alta de 5,8% na operação de cargas entre janeiro e março, na comparação com o primeiro trimestre de 2014. Já nos portos organizados (com terminais públicos arrendados à iniciativa privada), houve uma queda de 3,2% na movimentação de mercadorias no mesmo período.

No entanto, no Porto de Santos, o principal do País, o trimestre foi de recordes. Entre janeiro e março, o cais santista acumulou a marca de 26.3 milhões de toneladas movimentadas, volume 4,9% superior ao verificado nos três primeiros meses de 2014, quando 25,1 milhões de toneladas entraram ou saíram do País pelo complexo.

No sistema portuário nacional, entre as cargas que registraram os maiores percentuais de crescimento, estão o minério de ferro, que somou 3,8 milhões de toneladas, com um acréscimo de 5,1%; os combustíveis, que totalizaram 1,4 milhão de toneladas, alta de 3%; e o farelo de soja, que registrou a marca de 1 milhão de toneladas movimentadas, 46,3% a mais do que no primeiro trimestre do ano passado. Já os embarques e desembarques de contêineres contabilizaram o total de 959 mil toneladas em todo o País, um volume cerca de 4% maior do que nos três primeiros meses de 2014.

Na contramão do crescimento, aparecem dois destaques negativos neste primeiro trimestre. Houve uma queda de 1,5 milhão de toneladas na movimentação de soja em grãos, o equivalente a 11,2%, e uma redução de 918 mil toneladas nos fertilizantes, 16,7% do total.

As operações com granéis sólidos – tanto os vegetais, como o açúcar e a soja, como os minerais, no caso do ferro – são predominantes nos portos brasileiros e corresponderam a 60% de toda a movimentação de cargas no País. Dos dez principais grupos de mercadorias embarcadas ou desembarcadas nas instalações portuárias, que responderam por 87,6% da tonelagem de cargas no trimestre, sete são sólidos transportados a granel. Destas, o minério de ferro representou 35,4% do total registrado pelo sistema portuário nacional.
Embarque de soja em Santos: exportações da commodity registraram queda de 11,2% no primeiro trimestre.

Participação

De acordo com dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), no primeiro trimestre do ano, o Porto de Santos manteve a liderança nacional em relação ao valor das cargas de comércio exterior. A participação do cais santista foi de 26,1% do total, considerando a soma de importações e exportações. Na sequência, ficaram os portos de Paranaguá (PR), com o equivalente a 5,9%, Vitória (ES), com uma fatia de 5,3%, e Rio de Janeiro (RJ), com 4,1%.

Ainda aparecem na lista os complexos portuários de São Luís (MA), com 4%, Sepetiba (RJ), com 3,8%, Itajaí (SC), responsável por 3,7%, Rio Grande (RS), que registrou a marca de 3,4%, São Francisco do Sul (SC), com um volume de 3,3%, e Aratu (BA), que registrou 2,3% dos valores movimentados pelo sistema portuário nacional.
Data de publicação : sexta-feira, 19 de junho de 2015

 

    ©2010 Krassine Soares Pinheiro Filho   -   Administrador